quarta-feira, 14 de julho de 2010

Fabulas Fabulosas


Hoje e até dia 30 de Julho 

no Pax Julia - Teatro Municipal de Beja


a cobertura dos OCS locias aqui

http://www.correioalentejo.com/index.php?diaria=4751

e aqui 

http://www.radiopax.com/noticias.php?id=9630&pageNum_noticias=0&d=noticias&c=1

segunda-feira, 12 de julho de 2010

DGArtes_novo Director-Geral

João Aidos
é o novo Director Geral das Artes.
imagem da net


Lisboa, 12 jul (Lusa) - 

João Aidos é o novo diretor geral das Artes, substituindo Jorge Barreto Xavier que se demitiu sexta feira passada, invocando diverg~encias com a ministra da Cultura, gabriela Canavilhas.

"O Ministério da Cultura está convicto de que, com a nomeação de João Aidos, a Direção Geral das Artes terá uma nova estratégia que permitirá uma nova atitude e nova abordagem das problemáticas que afetam o setor cultural, quer no contexto circunstancial actual, quer no planeamento a médio e longo prazo", afirma a nota minsiterial.

Segundo a mesma nota, João Aidos tem uma "vasta experiência e reputação no meio cultural português, ligado a inúmeros projetos no âmbito da Rede Nacional de Teatros e Cine-Teatros, gestor, programador, produtor e engenheiro projetista com profunda ligação à rede e tecidos culturais em todo o território nacional"


fonte: http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/11290532.html

Céu Azul


Manuela Ferreira Leite no voo BA500 London-Lisbon

Seven alfa - no dia do seu aniversário - faz molotoff sem que eu o possa provar...

Entorces que dão rupturas...

enfim,

no caminho a Beja de Hoje.

Mas o Céu,

... esse continua A Z U L !

e o SOL brilhar nos olhos

entre comboios parados

à espera de poder andar...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

p e t i ç ã o - p e t i t i o n - p e t i c i ó n - п е т и ц и я


Plataforma Geral da Cultura
em

http://www.peticaopublica.com/?pi=DL72A

Bill Bryson

por aqui e por ali by Bill Bryson


Há muitos livros sobre exploradores destemidos que escalam montanhas, atravessam oceanos, enfrentam intempéries e sofrem experiências traumáticas. Mas neste livro existe outro tipo de herói: pessoas comuns que se esfalfam para subir um monte, que ficam histéricas com os animais selvagens... Isto para não falar do horror que têm aos insectos!

Bill Bryson decide com o seu amigo Stephen Kaz fazer três mil quilómetros pela floresta durante vários meses, percorrendo a pé o mais longo trilho do mundo. Um esforço enorme para o autor que tem o hábito de estar sentado e um suplício para o amigo, ex-alcoólico, gordo e que adora fast-food.

Com o seu estilo irreverente e inconfundível, Bryson conta casos inacreditáveis de destruição ecológica e descreve os estragos causados pelo turismo, o qual critica impiedosamente - incluindo-se a si e ao companheiro neste rol de destruidores. Um livro para quem ama a natureza selvagem, mas que ao mesmo tempo adora os prazeres da civilização.